14 outubro 2014

Resenha – O Fantástico na Ilha de Santa Catarina



Autor(a): Franklin Cascaes
Páginas: 272
Editora: Editora da UFSC


Sinopse: Edição ampliada e atualizada da obra escrita principal de Franklin Cascaes, lançado originalmente em 1979. Conta com 24 contos, oriundos das coletas de relatos orais feitos pelo autor entre 1946 a 1976 pela Ilha de Santa Catarina, cidades vizinhas e nas Ilhas dos Açores, Madeira e Faial, de onde vieram entre 1746 q 1756 cerca de 5 mil famílias para habitar a Vila de Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis. Esta edição faz parte da "Coleção Repertório", projeto da Editora da UFSC que propõe publicar obras de autores catarinenses. – Retirada do Skoob




O livro é dividido em diversas histórias, onde cada uma trata de histórias contadas principalmente pelos tais que chamamos de antigos. Sabe aquelas histórias de bruxas, lobisomem, e seres que apareciam assim e que nossos avós ou pais usavam para nos assustar e até mesmo para que não tivéssemos vontade de assistir sozinhos a noite ou coisa do tipo? Pois é, nesse livro você vai imaginar como se uma pessoa estivesse te contando casos do tipo, onde crianças estavam tendo seus sangues chupados por bruxas, onde pessoas próximas e até mesmo da família eram bruxas ou outros seres.

No livro você ainda vai encontrar como as pessoas mais distantes da cidade se sentiam em relação à política, não é tão diferente do que podemos observar hoje em dia, onde o um pouco do povo não acredita nas promessas que os políticos fazem e já outro pouco vai lá e diz “Ah, mas ele disse que vai fazer”, tinha até casos bizarros contados onde o cara que queria ser eleito prometeu que a vaca que a mulher tinha já ia dar prontinho o queijo, nata, etc. O que é uma verdadeira mentira, mas que mostrava como o povo conseguia e ainda consegue se iludir com promessas que não será possível de cumprir.

“[...] primitero pra Inaça uma vaca que dá leite, croste, coiada, nata, mantega pura e quejo. Dissero que sai tudo prontinho de dentro do ubre da vaca, sem a gente percisá se incomodá. É só apará quando quis é, dentro de vasiias ou de balaios. [...]”

A maioria dos diálogos encontrado no livro são diálogos coloquiais meio caipira, sabe? O que fica difícil para caramba de ler, já que não estou acostumada com esse tipo de linguagem, mas encarei como um desafio aceito e foi assim que consegui terminar a leitura do livro. Você ainda vai encontrar no livro um glossário, onde vai explicar as tais palavras, como deveria ser realmente escrita no caso do nosso português e como eles escreveram para ter o som necessário e conhecido por algumas pessoas que viveram antes no interior (eu não sei se hoje em dia ainda é assim). Ainda antes de começar as histórias vai ter várias outras explicações sobre o livro, como juntaram as coisas e tudo mais...

Enfim, não é um livro que diga-se “Nossa que legal esse livro, amei as histórias.”, mas é um livro necessário de estar lendo para quem vai fazer o vestibular. E como eu sou boazinha segue o link da UFSC com o livro. :)

20 comentários:

  1. gosto bastante de livros de contos, bacana a dica desse, eu ainda nao conhecia

    www.tofucolorido.blogspot.com
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  2. Parece ser interessante ^^ Vou indicar para algum amigo que for fazer vestibular.

    Beijinhosss
    www.mah4021.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Gostei da dica, não tinha ouvido falar desse livro

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha e parece ser uma otima escolha para ler.. eu estou começando a voltar a ler...
    Bjs
    http://meninadivadamodaoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é ótimo Luana... Ler é bom demais, te dou o maior apoio, volta a ler sim. <3
      Beijos.

      Excluir
  5. gostei da dica, achei a resenha super interessante, nao conhecia esse livro...bjs
    www.blogpinkmakeup.com

    ResponderExcluir
  6. Ler livros para o vestibular é um saco né, adoro ler e é muito bom conhecer histórias novas, mas tem umas que é meio complicado de chegar até o fim kkk
    Não conhecia esse livro, mas até que não parece ser um dos piores.
    Beijos linda, adorei conhecer seu blog <3
    http://www.andressalara.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Sim, tipo... Eu também adoro ler sabe? Mas tem umas que não da...
      Beijos, fico feliz que tenha gostado e será sempre bem vinda. <3

      Excluir
  7. Adorei a sinopse mas ler por obrigação é um saco, né?
    Beijos ♡
    Blog: http://carolbrasileiro.com.br/
    Fan Page: facebook/blogcarolbrasileiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk é sim, mas tem uns que nem tanto. hahaha
      Beijos.

      Excluir
  8. Nunca tinha ouvido falar desse livro, não é o tipo de leitura que me agrada.
    Bahh, ler por precisar é ruim né? A leitura acaba não se tornando tão agradável quanto deveria ser.

    Beijooos! <3
    www.keithpappen.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é bem diferente sabe? E não agrada muito mesmo... Sim, ler obrigado não é legal, mas tem uns livros que as histórias são tão boas que você até esquece que é obrigado. hahaha
      Beijos.

      Excluir
  9. nunca tinha escutado falar dele e pela capa acho que nunca leria, nãos ei nada me chama a atenção nele :/

    Dá uma olhadinha na resenha que fiz do livro A Bandeja
    http://www.byanak.com.br/2014/08/despertar-bandeja-lycia-barros.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hauhauah Também só fiquei sabendo por causa do vestibular e olha que eu moro aqui em SC.

      Excluir
  10. não vou prestar vestibular, mas é mais um livro que me interesso pra caramba em ler que entrara em um. curti as falas e as realidades encontradas no livro como a ilusão que muitos ainda caem em acreditar, mesmo que saiba que é algo impossível do homem fazer. fiquei com saudade da infância quando poucos adultos ou velhos que até já se foram contavam histórias macabras pra eu e outros, deixando-nos com medo a noite inteira.

    com nostalgia,
    gabryel fellipe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah tem bem isso mesmo Gabryel, a época em que os mais velhos ficavam contando esse tipo de história que deixava a gente bem atenta a tudo e com medo de quase tudo também. hahahaha

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...